Sindicato quer beneficiar servidores municipais que fizeram cursos fora de suas áreas de atuação

Para o sindicato, um servidor que trabalha na área de informática e graduou-se em teologia, por exemplo, deve ter o direito de receber o benefício

Ao que tudo indica, o assunto TITULAÇÃO ainda não acabou. Pelo menos para a presidente do SINDIANÁPOLIS, Regina Faria. Nos bastidores, ela coordena um protesto em frente à Prefeitura para exigir o pagamento do benefício também aos servidores que se graduaram em cursos não relacionados com a sua função.

Hoje, pela Lei aprovada na Câmara Municipal, tem direito a receber o benefício apenas servidores que graduaram em cursos da sua área. Fora disso, os diplomas não valem para receber o aumento no salário. O Sindicato discorda. Para eles, um servidor que trabalha na área de informática e graduou-se em teologia, por exemplo, deve ter o direito de receber o benefício.

A Prefeitura parece considerar esta medida ilegal e imoral, uma vez que os seus servidores têm como função prestar serviços ao município em sua área de atuação e a sociedade não pode “pagar” mais pelo trabalho deste servidor se o diploma apresentado por ele não estiver compatível com o trabalho que ele realiza. Do outro lado, mesmo não tendo o apoio da população, o sindicato tenta esticar a corda e pressionar a Prefeitura com manifestações e protestos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *