Menino foge de agressões domésticas e é resgatado pela PRF de Anápolis

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Anápolis resgatou neste domingo (16) um menino de 12 anos que fugiu de casa, em Abadiânia, numa bicicleta. O adolescente contou que era agredido pelo pai e uma tia paterna, que o criaram após a mãe o abandonar, quando ainda era bebê. Os policiais disseram que ele pedalava sozinho na rodovia, com uma mochila com um par de roupas, um lençol e uma garrafa de água.

A concessionária da rodovia, que faz o monitoramento do local, comunicou aos policiais rodoviários federais a situação estranha, de uma criança transitar à noite, em uma bicicleta, pela BR-060, entre Abadiânia e Anápolis. Segundo o Núcleo de Comunicação Social da PRF de Goiás (Nucom), assim que a concessionária entrou em contato, os patrulheiros foram ao local e encontraram o menino cansado e com fome.

“Entre Abadiânia e Anápolis são 26 quilômetros, e ele já havia pedalado quinze. No escuro, com grande fluxo de veículos como acontece naquele trecho da rodovia, o menino corria grande risco de ser violentado por criminosos, ou até mesmo ser vítima de um acidente de trânsito fatal. O que mais chama a atenção é o fato da criança ter, aos 12 anos, fugido de casa. É clara a falta de estrutura familiar”, disse o inspetor Newton Morais, chefe do Nucom.

Segundo Morais, quando os policiais começaram a conversar com o garoto, ele contou o drama que vivia, o que fez com que os policiais o levassem ao Posto Policial de Anápolis. “Ele disse que foi abandonado quando tinha um ano. Além disso, contou que apanhava da tia e do pai, e sofria agressões verbais, o que fez com que ele fugisse de casa”, completa.

O menor viajava sem documentos pessoais. Ele carregava uma mochila com um par de roupas, um cobertor e uma garrafa de água. Segundo Newton Morais, o menino estava com muita fome e cansado quando foi encontrado. Os policiais deram comida e bebida a ele, no Posto Policial. O Conselho Tutelar foi acionado e o garoto foi encaminhado para a cidade de Abadiânia. Como a PRF não identificou o garoto, tampouco o pai e a tia, a reportagem não conseguiu entrar em contato com eles.

“Faço tudo por esse garoto”
O pai do menino, Reginaldo Lemes de Souza, entrou em contato com a redação do Mais Goiás. Ele negou que o filho sofra qualquer agressão e disse que ele fugiu de casa porque estava com medo perder a bicicleta que havia ganhado. “Prometi a ele que daria a bicicleta se ele passasse de ano. Como ele ficou com medo de não passar, fugiu com medo que eu a tomasse de volta. Eu não sabia se ria ou se chorava quando fiquei sabendo dessa história. Ele já havia comentado com a secretária aqui de casa que fugiria se não passasse de ano.”, comentou.

Reginaldo disse também que achou que ele estava dormindo quando ele fugiu. “Tomamos um susto quando o Conselho Tutelar apareceu e disse que estava com o meu filho. Eu achei que ele estava dormindo no quarto. Agradeço muito à PRF, que conseguiu localizar meu filho antes que ele passasse de Anápolis. Trouxeram ele são e salvo. Faço tudo por esse garoto, amo ele mais que tudo [sic]”, concluiu.

Fonte e Matéria do Mais Goiás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *