Argentina é eliminada nas oitavas para a França, e os brasileiros “zoam” com os memes

Era o duelo entre uma equipe jovem, organizada, bem estruturada e comandada pelo mesmo treinador há seis anos e um time caótico, bagunçado, sem unidade e dirigido por um técnico que, segundo relata a imprensa local, não daria mais as cartas no vestiário. Assim foi o confronto entre França e Argentina, no qual o jogo coletivo do escrete de Didier Deschamps venceu a desorganização dos treinados por Jorge Sampaoli. Com excelente atuação de Mbappé, que anotou dois gols, Les Bleus derrotaram os sul-americanos por 4 a 3 e se classificaram para as quartas de final, numa partida que pode ter sido a última de Messi — que deu duas assistências — numa Copa do Mundo.

Depois de usar esquemas táticos como o 4-4-2 e o 3-4-3, que mostrou-se desastroso contra a Croácia, a Argentina entrou em campo num 4-3-3, com Messi centralizado, Pavón e Di María abertos pelas pontas, e sem um homem fixo de área como Agüero e Higuaín, que começaram no banco de reservas.

Já a França manteve o modelo predileto de Didier Deschamps, um 4-2-3-1 com volantes técnicos, rápidos homens de meio e Giroud como o centro-avante clássico à frente da linha ofensiva central de três.

O primeiro lance de perigo veio logo aos 8 minutos, quando Mascherano fez falta em Mbappé na entrada da área. Griezmann cobrou por cima da barreira, tirou do goleiro Armani, mas a bola explodiu no travessão.

Com suas linhas de centro bem recuadas, a França esperava a Argentina atrás para apostar em rápidos contra-ataques. Num desses Les Bleus abriram o placar, após uma arrancada espetacular de Mbappé, de 19 anos, que correu quase o campo inteiro e foi derrubado na área por Rojo. Pênalti marcado, Griezmann deslocou Armani e fez 1 a 0 para os franceses, aos 13 minutos.

Seis minutos mais tarde, o jovem atacante do PSG recebeu lançamento, jogou na frente e sofreu falta de Tagliafico, um pouco antes da linha da grande área, mas Pogba isolou a cobrança de falta na arquibancada.

Desorganizada, a Argentina tentava atacar, mas era impedida pelo próprio nervosismo e pela postura bastante defensiva da França. Essa era a dinâmica da partida até que uma bola sobrou para Di María, na intermediária. O meia do PSG ajeitou a bola para a canhota e acertou um chute perfeito, de curva, no lado esquerdo de Lloris, e igualou o marcador para os sul-americanos.

Herói do jogo contra a Nigéria, Rojo não voltou para o segundo tempo, já que tinha um cartão amarelo. Assim, Fazio entrou na zaga Argentina para a etapa final.

Aos três minutos, após cobrança de falta de Banega, a bola sobrou pra Messi. O craque do Barcelona girou, chutou de chapa, a bola desviou no pé de Mercado e entrou na meta francesa. 2 a 1 para a Argentina.

Pouco depois, Fazio quase deu o empate de mão beijada para a França ao recuar errado a bola para Armani. Atento, Griezmann ficou perto de empurrá-la para o gol.

O placar seria igualado aos 12 minutos. Após belo passe de Matuidi entre a defesa argentina, Hernández cruzou para trás. Do outro lado, de fora da área, o lateral-direito Pavard acertou uma chicotada no ângulo esquerdo do goleiro do River Plate, marcando um dos gols mais bonitos da Copa.

O jogo seguia seu ritmo frenético, sem deixar o espectador descansar um minuto que fosse. E não demorou para a França voltar à frente. Novamente pela esquerda, onde Mercado dava muitos espaços, Hernández cruzou para a área, a ruim zaga alviceleste não conseguiu clarear, e Mpbappé jogou para o lado e fez o terceiro para Les Bleus.

Minutos depois, o pesadelo argentino ficaria ainda pior. Após saída de bola rápida, em poucos passes a França penetrou uma apática zaga da equipe sul-americana, onde Mbappé chutou cruzado e ampliou a vantagem dos europeus para 4 a 2.

 

Messi lamenta a derrota para a França, que pode ter sido seu último jogo numa Copa do Mundo – DYLAN MARTINEZ / REUTERS

Com o resultado favorável, a França retomou sua postura defensiva e apenas controlou o resultado. Abatida, uma caótica Argentina apenas arriscou com Messi, que decidiu tentar resolver tudo sozinho, mas não conseguiu sem o apoio de seus companheiros.

A dois minutos do fim, Deschamps tirou sua jovem estrela Mbappé, que foi ovacionado pelos franceses presentes na Arena Kazan. Já nos acréscimos, Messi teve um lampejo de sua genialidade e deu um passe precioso para Agüero marcar o terceiro da Argentina. Mas o gol não foi o suficiente para a seleção latina. Agora, a França aguarda o resultado do confronto entre Uruguai e Portugal para conhecer seu adversário nas quartas de final.

Veja os principais memes

Os internautas brincaram com o fato de Lionel Messi não ter Mundial, exaltando Pelé, com três conquistas. Nem Maradona escapou dos memes.

Messi até tentou. No gol de Mercado, foi La Pulga quem chutou ao gol. E, no fim, ele ainda cruzou para o gol de Aguero. Foi pouco, porém, para salvar a Argentina. A fábrica de memes do Brasil agradece e, claro, tira onda com nossos vizinhos, principalmente com o camisa 10 deles…

 

 



Deixe seu Comentário